Como achar o melhor ponto para a minha franquia?

0
307

Abrir uma franquia é o desejo de muitos empreendedores. No percurso, no entanto, é comum encontrarem algumas dificuldades. Entre os desafios, está achar o local certo para inaugurar a loja, já que esta escolha pode significar o sucesso ou insucesso do negócio.

O primeiro passo é descobrir se a melhor opção para abrir a franquia é ter uma loja na rua ou dentro de um shopping. Para isso, é importante responder algumas perguntas:

– O ponto é acessível e possui estacionamento para os clientes?

– Qual é o fluxo de pedestres?

– Qual é o perfil dos frequentadores do shopping?

– Como a concorrência está posicionada no bairro e no shopping?

Nos dois modelos de atuação, há vantagens e desvantagens. No shopping, o empresário contará com maior segurança e fluxo de pessoas, além de estacionamento e do conforto que o local proporciona. É possível, também, fazer parcerias com os outros lojistas para que o franqueado atraia mais clientes. As desvantagens estão relacionadas a custos, que em alguns casos, podem até inviabilizar o negócio. O franqueado deve se preparar para o valor do aluguel, a luva, que é uma taxa paga uma única vez para o proprietário da loja, e o custo ocupacional, que envolve o valor do condomínio referente a água, luz e serviços gerais, além de um fundo de promoção destinado às ações de marketing do shopping.

Na rua, as vantagens estão mais ligadas ao custo e à liberdade, já que a unidade pode ter uma metragem maior e um layout diferenciado, o que favorece a experiência do consumidor com a marca. Porém, nesse caso, o franqueado deve concentrar um esforço maior em propaganda para atrair mais clientes.

 

O que influencia na escolha do ponto comercial

 

Alguns fatores interferem na escolha do local ideal para abrir sua franquia.

– Público-alvo: quais são as características, desejos e como o público-alvo se comporta? Essas perguntas são respondidas com estudos demográficos e comportamentais sobre consumidor. A franqueadora pode apresentar esses estudos ao franqueado ou auxiliá-lo na realização. As informações obtidas ajudarão a entender se o produto ou serviço atenderá a demanda do bairro e se essa demanda, de fato, existe.

– Aluguel do estabelecimento: a locação de pontos na rua costuma ser 30% mais barata do que em shoppings. O franqueado deve avaliar se o preço do contrato de aluguel é compatível com o orçamento do plano de negócios.

– Visita ao local: conhecer a área ajuda a entender o fluxo de pessoas e qual o horário de maior movimento, além da possibilidade de convênios com parceiros locais.

– Compatibilidade com a vizinhança: conhecer os estabelecimentos que existem no local pode ajudar o franqueado a formatar a melhor estratégia de abertura do ponto. Uma loja de roupas funciona muito bem ao lado de uma loja de sapatos, mas uma peixaria afastaria clientes de uma franquia de perfumes, por exemplo.

– Visibilidade: as lojas devem estar visíveis para os clientes –ficar atrás de um ponto de ônibus, por exemplo, poderia afastá-lo. Nos shoppings, o ponto deve ficar em um local de grande circulação, como ao lado de lojas âncoras, escada rolante e praça de alimentação.

– Autorizações: depois de avaliar com cuidado cada passo, é hora de verificar com a prefeitura as autorizações e licitações para a abertura do ponto, pois é preciso seguir as regras do plano diretor urbano do município.

Levando estes pontos em consideração, o franqueado terá mais chances de ser assertivo ao escolher ponto para o novo negócio. A franqueadora também pode oferecer o suporte e a segurança necessária para que a decisão seja a melhor possível.

COMPARTILHAR