Fluxo de 60 milhões e baixa concorrência: considere essa alternativa de ponto comercial para abrir uma franquia

0
megamate loja - texto Fluxo de 60 milhões e baixa concorrência: considere essa alternativa de ponto comercial para abrir uma franquia

As inúmeras transformações no mercado de consumo impulsionadas, principalmente, pelos avanços tecnológicos têm influenciado o modo como as pessoas compram – e, como consequência, a forma de escolher um ponto comercial. Com isso, locais alternativos às lojas de rua e de shopping recebem destaque. Afinal, esses últimos, mais tradicionais, enfrentam processos de reinvenção para se adequarem a esse novo cenário, por meio de lojas conceito e da atenção maior a segmentos diferentes, como os de alimentação e de serviços.

Que lugares alternativos estão no foco de quem planeja abrir um negócio? Uma opção tem despontado nos últimos tempos: o ambiente escolar. O público jovem está na mira de muitas empresas e a concentração maior deles, durante boa parte do dia, está nesses lugares. Com isso, muitas franquias têm aberto a possibilidade de, cada vez mais, adentrar nesse meio. E não é à toa.

Há mais de 40 mil escolas particulares de ensino básico e cerca de 2 mil universidades privadas no Brasil, de acordo com o último censo de cada área – correspondentes aos anos 2016 e 2015, respectivamente. Para efeito de público-alvo e demanda, são quase 60 milhões de matrículas concentradas nas instituições privadas de ensino. E os novos franqueados estão de olho nessa oportunidade.

Escola na escola

lifeusa escola - texto Fluxo de 60 milhões e baixa concorrência: considere essa alternativa de ponto comercial para abrir uma franquia
A unidade da LifeUSA em Santana de Parnaíba fica instalada dentro de uma escola básica bilíngue.

Um exemplo é o de Roberto Fragozo, que já possui uma escola de educação básica bilíngue em Santana de Parnaíba (SP) há mais de dez anos. No início de 2017, ele decidiu oferecer também um complemento à grade de ensino ao investir na franquia de escola de inglês LifeUSA. Além de atrair a demanda existente entre os próprios estudantes, a unidade consegue atender a população do entorno com uma metodologia diferenciada.

“Eu já tenho experiência com gestão de empresas e com o ensino do idioma inglês, por isso acredito no potencial e qualidade da marca. E como os bairros próximos apresentam grande concorrência, a operação dentro de uma escola seria um diferencial para estar mais próximo do público-alvo, além de economizar com ponto comercial e outras preocupações caso eu abrisse fora da escola”, afirmou o franqueado.

A estratégia foi positiva na visão do franqueado, pois logo no primeiro mês de atuação a unidade já estava com 50 alunos matriculados, o que superou as expectativas do início do negócio. “Nós investimos mais na divulgação interna e já tivemos essa procura. Com a divulgação da franquia voltada para o público em geral, a nossa projeção é fechar o ano com 150 alunos”, apontou Fragozo.

Investir na hora da fome

megamatte loja - texto Fluxo de 60 milhões e baixa concorrência: considere essa alternativa de ponto comercial para abrir uma franquia
Há quatro anos, a Megamatte possui uma unidade dentro da Universidade Veiga de Almeida (RJ).

Para quem já passou pela experiência de ter uma loja de rua e outra dentro de uma universidade privada, é fácil a comparação. “Na rua, são diversos os fatores que influenciam tanto para o sucesso, quanto para o fracasso do negócio. Já dentro de um local onde o perfil dos consumidores é mais alinhado com o público-alvo da marca e tem uma demanda recorrente, a estabilidade e as chances do investimento progredir é maior. Por isso estou aqui há quatro anos”, disse Diego Veteri, franqueado da Megamatte dentro da Universidade Veiga de Almeida, no Rio de Janeiro.

O retorno do investimento na marca de franquia de alimentação era estimado em 36 meses – o que foi tempo demais para a unidade da faculdade, foi de menos na loja de rua. “Em cinco minutos eu atendo cerca de 30 estudantes e, mesmo tendo apenas três picos de consumo durante o dia nos intervalos das aulas, o retorno foi muito maior do que na rua, pois aqui não há concorrente e são pessoas que buscam a alimentação certa para este momento específico. Há uma necessidade maior, que é a hora da fome”, contou.

São inúmeras as possibilidades para driblar a concorrência e ter destaque no ponto comercial escolhido, e o caminho é alternativo! Quer saber quais outras estratégias estão rondando o mundo das franquias? Leia este post e descubra o que vai bombar no próximo ano.



COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here