Por que um franqueado precisa entrar já pensando em sair?

0
Todo franqueado deve considerar sair do negócio (Foto: Shutterstock)
Todo franqueado deve considerar sair do negócio (Foto: Shutterstock)

Normalmente, quando estamos avaliando investir em uma franquia não pensamos na possibilidade de sair dela. Mesmo que pareça estranho, uma dica muito valiosa é: antes de ingressar no franchising, considere sua saída.

A “estratégia de saída” é um termo muito conhecido entre os investidores do mercado financeiro, que já planejam a retirada dos fundos desde o início. Este assunto é pouco falado entre os franqueadores – que, no fim das contas, também são investidores.

Ter a saída como tática inicial pode aparentar ser uma consideração pouco importante, mas ter a possibilidade em mente na hora de assinar o contrato pode poupar muito estresse e complicações no futuro. Poucos se preocupam com o término do contrato, incluindo, muitas vezes, os próprios franqueadores.

Isso tudo não significa se preparar para o pior. Pelo contrário, expressa um exercício relevante de projetar ciclos futuros, mesmo que para os próximos 10 ou 20 anos. Para isso, é necessário entender e estudar as tendências do mercado.

Estímulos para sair

Existem inúmeros motivos para se querer sair de uma franquia, como uma mudança de cidade, outros objetivos profissionais de médio e longo prazo ou falta de alguém para fazer a sucessão nos negócios. Há também algumas situações em que a unidade não está performando bem, o que não quer dizer, porém, que a franquia não seja uma boa oportunidade de compra.

Para saber como repassar uma franquia, é muito importante observar os termos pré-estabelecidos na Circular de Oferta de Franquias (COF) e no contrato em caso de término contratual.

Planejamento é tudo

O primeiro passo é estabelecer qual seu objetivo e quanto tempo você deseja permanecer com o negócio. Isso significa fazer um planejamento, analisando todas as circunstâncias. Como em qualquer empreendimento, é importante pensar até quando ele será um modelo viável e lucrativo.

Caso contrário, existe o risco de vender o negócio por um valor inferior ao ideal. Por exemplo, se você quer ter uma franquia por apenas cincos anos, não deve optar por uma que, teoricamente, tenha o valor de pico em 10 anos.

Outro fator importante de ser lembrado é que o desejo de vender a franquia em tantos anos não quer dizer que a economia local estará ideal para a venda naquele momento.

Quais são as possibilidades?

Na hora de sair da franquia, existe a possibilidade de revender, ou seja, a franquia é repassada para outro investidor. O futuro comprador precisa ser previamente aprovado pelo franqueador, pois um novo contrato será assinado entre as partes.

Ou então acontece o fechamento. A maioria dos acordos prevê que, ao final do contrato, seja feita a descaracterização total da marca no estabelecimento, sendo removida imediatamente toda a sinalização que tenha ligação com o negócio, desde pintura, uniformes, formulários, mobiliário, até endereços eletrônicos e sites. Além disso, acontece a parada total de fornecimento de produtos e serviços que ocorriam em nome da franquia.

Atenção aos termos do contrato

Toda e qualquer situação de término deve ser prevista em contrato e, em especial, na COF. Verifique quais são as multas e penalidades em caso de desistência da franquia, assim como as condições em que ocorre a rescisão automática.

Além disso, existe a cláusula de não concorrência, importante para as duas partes, que determina a impossibilidade do franqueado operar ou se associar a outro negócio similar à área de atuação da rede. Muitas vezes, esse termo se estende após o fim do contrato por, geralmente, dois anos.

Partindo para a venda

O que acontecerá com o negócio quando você estiver pronto para vender?

Uma das maiores razões de se optar por investir no franchising é que ele oferece um modelo comprovado de sucesso e, em muitos casos, um bom sistema de suporte, que pode conter também uma estrutura para a venda da unidade da franquia.

Busque saber com a franqueadora se existe um processo interno para auxiliar os proprietários das unidades com a estratégia de saída. Quanto o escritório corporativo se envolve na venda? Existe suporte de marketing para ajudar a vender o negócio? Há uma base de dados de candidatos que manifestaram interesse em uma franquia no seu mercado?

Além disso, pergunte por quanto tempo, geralmente, os franqueados permanecem com a franquia, as principais razões pelas quais eles decidem vender e qual a margem de lucro da venda.

Este planejamento de saída já no início do ingresso ao franchising auxiliará a garantir uma transição suave para fora do seu negócio quando for a hora certa. Leia mais para saber se é o momento de pensar na sucessão da franquia.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.