Era jogador de futebol e hoje atende mais de 400 pacientes por mês em sua franquia médica

0
Gustavo Zeraik - texto Era jogador de futebol e hoje atende mais de 400 pacientes por mês em sua franquia médica

É muito comum encontrar garotos apaixonados por futebol e com o sonho de serem jogadores profissionais, principalmente no interior, onde as oportunidades tendem a ser mais escassas. Com Gustavo Zeraik, 38 anos, não foi diferente. E ele foi além: realizou o sonho jogando durante oito anos no Comercial Futebol Clube, time de Ribeirão Preto, no interior paulista.

A primeira experiência profissional parecia guiar o futuro do jovem, que chegou a ingressar na faculdade de Educação Física. Ele percebeu, porém, que esse não era exatamente o caminho que mais lhe trazia satisfação. Trocou o curso pelo de Direito e, aos 20 anos, decidiu encerrar a carreira como jogador de futebol para entrar no mercado de trabalho convencional. O primeiro trabalho foi numa famosa instituição bancária.

Primeira mudança na carreira

“Mudei de área radicalmente até me encontrar no banco, onde fiquei por quase 10 anos desempenhando diversas funções e me tornar gerente geral. Com o tempo, percebi que não queria mais continuar a trabalhar para os outros e comecei a analisar possibilidades”, afirmou.

Inspirado pela trajetória empreendedora do avô, Gustavo iniciou o próprio negócio, em paralelo com o emprego bancário, prestando consultoria para interessados em títulos de capitalização. No entanto, mesmo com alguns anos de atuação, queria algo mais estável. “Com essa empresa, eu dependo de fechar contratos e estava em busca de algo com retorno mais certo. Até que comecei a olhar para as franquias como uma grande opção de investimento”, relatou.

Franquia médica para fazer a diferença

Durante uma viagem para Belém (PA), em 2015, Gustavo conheceu uma franquia médica e gostou do modelo de negócios. Ao retornar a São Paulo, pesquisou mais a respeito e encontrou a PartMed, então no início das operações. “Eu já conhecia outras marcas da holding SMZTO, o que me fez confiar no plano de negócios da franquia, além de ter amizade pessoal com um médico que hoje é o meu diretor clínico e me ajudou a montar a nossa equipe”, conta Gustavo, que abriu a franquia um ano depois. “Isso me deu base para poder ser o primeiro franqueado da clínica médica popular.”

O que motivou a mudança na carreira e a abertura de uma franquia sem formação na área? A possibilidade de fazer a diferença na vida das pessoas. “Deixar um legado”, apontou o franqueado ao se referir às condições da saúde no país. “A clínica popular é uma oportunidade para quem não têm plano de saúde evitar longas esperas no atendimento público, por preços mais acessíveis. Oferecer isso faz com que me sinta útil”, disse Gustavo.

A maior goleada

Um ano depois da abertura da empresa, o franqueado já consegue atender mais de 400 pacientes por mês e recebe retornos positivos sobre o desempenho dos trabalhos médicos. Com as expectativas atendidas, Gustavo planeja abrir a segunda unidade da franquia nos próximos dois anos. “Com certeza está é minha maior goleada”, ressalta, entusiasmado com os negócios.

Se você se identificou com a história do Gustavo Zeraik e também está planejando abrir a segunda unidade da franquia, confira as dicas e possibilidades para expandir aqui no portal.



COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here